Zoom Moda como Negócio, promovido pela CDL Porto Alegre, apresentou cases de sucesso de quem está conseguindo se destacar no varejo

IMG_4384Quer ter sucesso no varejo? Inove e seja criativo. Essa é a atitude que os empresários necessitam para fazer seus negócios frutificarem. Quer apostar na loja física? Faça isso sem medo, desde que ela tenha um algo mais a oferecer. Quer focar no e-commerce? Busque novas plataformas, saia do lugar comum. Mas, em qualquer uma das opções, tenha sempre em mente: o cliente precisa ter uma experiência incrível ao procurar o seu estabelecimento e adquirir um produto, seja ele qual for.

Esse é o resumo do que foi apresentado no Zoom Moda como Negócio, realizado pela CDL Porto Alegre, na manhã desta quinta-feira (25), e que reuniu nomes ligados ao mundo da moda cheios de novas ideias para incrementar o varejo gaúcho.

O presidente da CDL Porto Alegre, Gustavo Schifino, ressaltou que o momento é de desafio para os varejistas. “Existe uma crise mercadológica e moral no nosso País, mas nós vamos contornar, pois é na crise que a gente vê o quanto a corda é forte. Em situações como essas, precisamos enfrentar e não fugir. A seguir, vocês verão cinco histórias que mostram como dinamitar as pedras no caminho.”

Produtos especiais = clientes especiais

O encontro começou com Cristian Resende, da Cartel011, um local focado em cultura e consumo jovem na cidade de São Paulo, que falou sobre o processo de criação e realização do espaço, em 2009, e de como ele foi se tornando reconhecido. “Começamos criando uma relação emocional para depois oferecermos o consumo. Invertemos o processo. Buscamos criar uma plataforma de moda independente. Acreditamos que produtos especiais, que geram clientes especiais”, avalia.

Com relação aos planos para o futuro, Cristian foi enfático: a palavra de ordem é inovação. “Tem que ter inovação em tudo, mas também é preciso ser colaborativo, as coisas precisam ser construídas em conjunto. O brasileiro é um povo criativo e é necessário usar essa qualidade. E temos, sempre, que ter em mente que o mercado mudou. O negócio mudou e que é fundamental pensar de forma diferente.”

Na mesma linha de apresentar uma loja física diferenciada, que aposta em marcas reconhecidas mundialmente, mas também em acessórios e outros itens que são preferência entre o público masculino, Felipe Hemb, da Hemb Forma e Conteúdo, de Porto Alegre, destacou que é importante mudar, surpreender o cliente. “O ideal é a loja toda estar em uma mudança constante, não apenas as vitrines. No entanto, além disso, é preciso que a equipe esteja alinhada com os valores da empresa, que os funcionários se sintam felizes no local de trabalho e que sejam constantemente treinados”, ressalta.

 

Navegando entre dois mundos

E se a loja física totalmente remodelada contar ainda com todos os benefícios da tecnologia? Esse seria o cenário ideal para o varejo. Segundo Márcio Nunes, diretor de mobilidade da Linx, o foco principal é transformar o consumidor em cliente. “Mas para isso, é preciso conhecer essa pessoa, saber o que ela gosta realmente, quais são seus hábitos de consumo e como encontrá-la cada vez que eu tiver uma novidade para contar.”

Nunes assegura que a tecnologia é uma forma para alcançar este objetivo. “Com ela, oferecemos mais conveniência para o consumidor. O vendedor tem na ponta dos dedos, por meio de qualquer aplicativo, uma infinidade de possibilidades para realizar boas vendas se ele souber o que as pessoas buscam. Os clientes gostam de se sentir especiais e quando se sentem bem estão mais dispostos a comprar. A fase da ‘empurrometria’ já passou. Não estamos mais nesse momento. Temos que oferecer o que o consumidor procura. E isso definimos como Omni-Channel, onde conhecemos quem vem na nossa loja, entendemos suas necessidades e ainda mantemos o lucro da operação”, afirma.

 

Referência online

José Simões, CPO da Dafiti, contou aos gaúchos a trajetória de sucesso da empresa de comércio online especializada em moda mais conhecida do País. Após começar oferecendo apenas sapatos, em 2012, a plataforma hoje contempla roupas, acessórios, produtos de beleza, artigos para casa e decoração.

 

Simões frisou aos varejistas gaúchos que estar presente em um canal mobile é muito importante nos dias de hoje, pois esta é uma maneira de fazer com que seus produtos cheguem ao mundo todo. “A loja tem que estar conectada, mesmo que ela seja off line. É preciso sempre oferecer novas possibilidades aos clientes, assim como ter em mente que o negócio não é só vender e, sim, dar um motivo para o cliente voltar todos os dias, seja na loja física ou online.”

 

Os blogs como aliados

 

A personal stylist e blogueira, Juliana Parisi, contou que os blogs fazem sucesso, atualmente, porque vivemos a era da recomendação. “Ninguém faz mais nada se não olhar antes na internet como um serviço ou produto foi recomendado, ou não. Dependendo da avaliação, vamos em frente ou desistimos do negócio.”

 

Juliana ressaltou que a marca precisa estar no mundo digital, seja numa fan page ou em um blog, desde que o conteúdo apresentado seja dinâmico e que haja muita interação com os clientes, uma vez que as pessoas adoram se comunicar.

 

Outra dica aos lojistas foi de que estejam atentos ao que passa na TV. Segundo a blogueira, a moda das novelas é o que faz a cabeça das brasileiras. “O que surge na novela vira o sonho de consumo das mulheres. E é preciso que todos estejam atentos a isso e não percam as tendências que surgem ali.” Além disso, Juliana sugeriu que os empresários apostem em treinamento dos vendedores, ofereçam workshops e serviço diferenciados, como personal shopper e consultoria de moda para seus clientes, como uma forma de deixá-los ainda mais fiéis a suas marcas.

Fotos: João Alves