Comércio e serviços voltam a crescer no segundo trimestre

07

SETEMBRO, 2017

Notícias

Ao quebrar um ciclo de nove trimestres consecutivos, o setor de Comércio voltou crescer no segundo trimestre de 2017. O aumento impulsionou a alta de 0,6% do PIB brasileiro, segundo estimativa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) com base em dados do IBGE.

Entre os motivos para o incremento de 1,9% no setor de Comércio, estão a regeneração parcial das condições de consumo, queda dos juros e da inflação, além dos saques das contas inativas do FGTS. De acordo com Fabio Bentes, economista-chefe da CNC, “mesmo que a economia nada cresça na segunda metade do ano, um cenário pouco provável, os avanços do primeiro semestre já garantiriam uma variação positiva de 0,5% para 2017”. A instituição mudou a previsão de crescimento da economia brasileira em 2017 foi de 0,6% para 0,8%.

Já o setor de serviços, que corresponde hoje a 75% do emprego formal e 73% do valor adicional aos preços básicos, deve ser o impulsionador da melhoria do cenário econômico do Brasil a curto e médio prazo, segundo o especialista.

Por outro lado, o consumo do governo (-0,9%) e, principalmente os investimentos (-0,7%), afetados pelo baixo nível de confiança do setor produtivo, registraram a 14ª queda consecutiva, se colocando, nesse momento, como o principal obstáculo à retomada sustentável do crescimento, de acordo com a análise da CNC.