A lógica vencedora do líder – Por Alcides Debus*

04

JULHO, 2018

Notícias

Organizações são formadas por indivíduos com capacidades e personalidades distintas.

A literatura dos negócios entende que as empresas necessitam de uma liderança com caraterísticas organizacionais para prosperarem.  Gostar de orientar tarefas, deveres e esforços dos demais colaboradores é atributo inerente ao bom líder.  Contudo, proponho uma reflexão sobre o líder vencedor.

Os líderes estão no mundo para ajudar pessoas e organizações a vencerem. Eles geram valor para si, para outras pessoas e para a sociedade como um todo.  Quando um líder ganha, normalmente, muitos ganham, quando ele perde, muitos perdem.  Portanto, uma análise de comportamento torna-se essencial. Hoje, precisamos que ideias novas substituam as antigas e, para isso, devemos aprender sobre o funcionamento do nosso cérebro.

Algumas atitudes aprendidas na infância são repetidas durante toda a vida e, caso não sejam reavaliadas, podem sabotar uma carreira. O executivo deve, sistematicamente, questionar suas próprias decisões. A acumulação de conhecimento de inovação e tecnologia de nada adianta para uma mudança de atitude inconsciente.

De acordo com o teórico norte-americano David McClelland (1917 – 1998), a motivação dos indivíduos em seu trabalho se dá a partir da satisfação de suas necessidades. Realização, afiliação e poder são as principais características descritas pelo autor. Elas existem em graus diferentes e em todos os indivíduos. Desta forma, a atuação de um indivíduo no trabalho será determinada pelo quanto ele se mostra forte ou fraco em cada um desses três tipos de necessidades.

O líder vencedor, além da necessidade de poder, deve compreender e avaliar seu conhecimento memético, que é a informação recebida e acumulada sem controle. Esse conhecimento pode ser transformado e apurado para superar possíveis falhas que levam ao fracasso. Um ponto decisivo é a análise do comportamento diário. Como primeiro passo, o líder precisa cercar-se de pessoas que coincidam com seus objetivos de sucesso, mesmo na vida pessoal. A seguir, deve propor-se a olhar para seus próprios modelos na vida, como pai e mãe, por exemplo. Outro ponto importante é a utilização de padrões de repetição para exercitar o cérebro.

Ao em vez de torcer ou querer, podemos sentir e ir, controlando os fatores do sucesso. O que determina o líder vencedor é a quebra de uma trilha mental, que faz com erros sejam cometidos sempre da mesma maneira. Para isso, é relevante buscar bons aconselhamentos, com foco no ganho real e no autocontrole. Somos aquilo que fazemos e devemos avaliar aquilo que nos faz vencer.

*Empresário e presidente da CDL Porto Alegre