fbpx

Conheça o perfil do gaúcho que quer sair da inadimplência

05

NOVEMBRO, 2019

Notícias

A partir de análise do público participante do Super Feirão Zero Dívida, em mais de 50 cidades do Estado, a CDL Porto Alegre apresenta o “Perfil do gaúcho que quer sair da inadimplência”. Segundo pesquisa realizada a partir da base de dados SCPC, foram analisadas as características que os consumidores interessados em negociar débitos têm em comum.

A maior parcela das pessoas interessadas em negociar seus débitos são mulheres entre 35 e 39 anos, da classe social C2 – modelo Boa Vista de renda presumida, recebe entre 1 e 2 salários mínimos e possui situação cadastral regular na Receita Federal. Um dos pontos que mais chama a atenção é a propensão desse público em aderir a parcelamentos com valor superior ao que consegue pagar – ação que dificilmente não levará o consumidor à inadimplência. Além disso, essas consumidoras têm alta propensão ao uso de crédito e à aquisição de cartão de crédito, não costumam comprar à vista, não possuem sociedade em empresa, não são servidoras públicas, nem beneficiária de Bolsa Família. Na hora de negociar dívidas em atraso, elas têm prioridade em pagar contas de água e luz, e suas dívidas de maior valor são com instituições financeiras.

Para quem deseja participar do Super Feirão Zero Dívida e encerrar o ano com as contas em dia ainda dá tempo. É só acessar o site do evento https://superfeiraozerodivida.com.br, consultar as cidades participantes e o endereço dos pontos de atendimento, ir até o local com CPF e RG em mãos. Lá será possível acessar débitos pendentes e receber um voucher para negociar dívidas em condições especiais, diretamente com as empresas credoras. O evento acontece até esta sexta-feira, dia 8 de novembro.

Mulheres têm mais interesse em quitar dívidas
Veja as características desse público:

– Sexo feminino (54%);
– De 35 a 39 anos (mais de mil pessoas);
– Classe C2 – 1 a 2 salários mínimos (55%);
– Está regular na Receita Federal (99%);
– Adere a parcelamentos com valor superior ao que consegue pagar (16%);
– Propensão ao consumo de crédito (51%);
– Costuma comprar mais no cartão de crédito parcelado do que à vista (71%);
– Não possui sociedade em empresa (71%);
– Não é servidora pública (99%);
– Não é beneficiária de Bolsa Família (96%);
– Prioridade de pagamento das contas de água e luz;
– Maiores dívidas são com instituições financeiras.