Empresários demonstram otimismo em relação às vendas para o Dia das Mães

10

MAIO, 2019

Notícias

Estudo foi realizado com mais de 800 empresários de micro, médio e grande porte.

Em comparação ao mesmo período do ano passado, pesquisa aferida pela Boa Vista SCPC, parceira da CDL POA, sobre a expectativa de vendas para o Dia das Mães aponta que a maior parcela dos entrevistados (43%) está otimista nesta data, e acredita que irá vender mais. Estudo também mostra que 37% esperam vendas iguais a 2018 e 20% afirmam que a comercialização irá diminuir.

Realizada com pouco mais de 800 respondentes, representantes de empresas de micro, pequeno, médio e grande portes, das principais regiões brasileiras, a pesquisa constatou ainda que, de um modo geral, 12% dos empresários estavam dispostos a contratar mais mão de obra este ano, justamente prevendo atender ao aumento da demanda.

Já para alavancar as vendas, 44% dos empresários informaram que facilitariam as formas de pagamento das compras realizadas pelos consumidores. Outros 37% concederiam descontos, e 19% que realizariam promoções. Para os mais otimistas, ou seja, aqueles que esperam vender mais neste Dia das Mães, 91% disseram acreditar que os consumidores gastarão igual ou mais na comparação com 2018.  Para conferir os dados completos, baixe o infográfico sobre o tema.

A pesquisa Perspectiva Empresarial – Dia das Mães 2019, desenvolvida pela Boa Vista, foi realizada em abril, de forma quantitativa, por meio de link via internet, com 820 respondentes, representantes de empresas de micro, pequeno, médio e grande portes, das principais regiões brasileiras. Para leitura geral dos resultados, deve-se considerar 95% de grau de confiança e margem de erro de 2,8%, para mais ou para menos.

Impactos no comércio gaúcho

No Rio Grande do Sul, as vendas para a data comemorativa devem registrar incremento de até 2%, segundo estudo técnico realizado pela CDL POA. O percentual corresponde à movimentação financeira prevista para o Estado, entre R$ 390,7 milhões e R$ 402,6 milhões. Para a Capital gaúcha, a projeção está estimada entre R$ 80 milhões e R$ 82,4 milhões. “Esses números são as previsões mínimas para a data, já que os dados utilizados neste cálculo vêm de fontes amostrais”, diz o economista-chefe da Entidade, Oscar Frank, responsável pelo estudo.