Mais da metade das MPMEs tiveram impacto acima de 40% no fluxo de caixa após a pandemia

29

JUNHO, 2020

Notícias

De acordo com o estudo, promovido pela Boa Vista e CDL POA, 66% relataram retração maior que 41% em suas vendas com a crise da Covid-19

Uma pesquisa realizada pela Boa Vista, representada pela CDL POA no Rio Grande do Sul, com micro, pequenos e médios empresários brasileiros, constatou que 57% dos negócios destes portes já sofrem impactos de ao menos 41% no fluxo de caixa por conta da pandemia da Covid-19. Ainda de acordo com o levantamento, feito para identificar as consequências da pandemia para às MPMEs, 66% delas tiveram retrações a partir de 41% em suas vendas, ao passo que pouco menos da metade (49%) teve diminuição de 41% ou mais nos recebimentos dos clientes. Para o estudo, foram ouvidos 354 micro, pequenos e médios empresários, representantes dos setores da Indústria e do Comércio, em todo o Brasil.

Para o economista-chefe da CDL POA, as perspectivas são preocupantes. “O Brasil já vinha de uma das maiores recessões de sua história ao longo de 2015-2016. Desde 2017, observamos um processo lento de recuperação, que havia devolvido apenas uma parte das perdas. Essa nova crise, relacionada ao coronavírus, gera preocupações sobre a sustentabilidade dos pequenos e médios negócios, conforme os dados apresentados pela pesquisa”, aponta.

O levantamento também ouviu os empresários sobre suas expectativas em relação à recuperação dos negócios. Apenas 26% dos entrevistados esperam uma melhora na manutenção de seus empreendimentos, considerando vendas, recebimentos e pagamentos, ao final dos próximos três meses, enquanto 34% preveem estabilidade neste período e 40% acreditam numa piora.

Perguntados sobre quais necessidades, caso atendidas, ajudariam a recuperar o negócio, a maioria dos empresários apontou a conquista de novos clientes (57%), além de driblar a inadimplência (43%) e ampliar a atuação no mercado (39%). Destacam-se também acesso a outros canais de vendas, como parcerias e e-commerce, (13%), ter outros canais para pagamentos e links de pagamentos (13%), e garantir entregas por meio de empresas de logística (10%), necessidades que podem ser supridas com parcerias em negócios. Nesta questão, os entrevistados puderam apontar mais de uma alternativa de necessidade, sendo que cada um apontou, em média, três.

Ainda em relação à importância dada pelas MPMEs às parcerias de negócios, 71% dos entrevistados as consideram importante para pagamentos e recebimentos on-line. Já para as vendas digitais, 55% acreditam que as parcerias importam, enquanto em relação a entregas de mercadoria são 40%.

Para apoiar manutenção dos negócios, a CDL POA e a Boa Vista aconselham medidas como ações de prospecção de novos clientes; segmentação e qualificação de clientes para ação de marketing, assim como de recuperação de crédito e de cobrança. As informações do Cadastro Positivo também já enriquecem soluções que podem ajudar o empresário na tomada de decisões mais assertivas, que ajudam a minimizar a inadimplência.

Metodologia

A Pesquisa Impactos da Pandemia nos Micro, Pequenos e Médios negócios foi realizada pela Boa Vista, no último mês de maio, com 354 empresários, dos setores do Comércio e da Indústria. Para a leitura dos resultados considerar cerca de 4 p.p. (pontos percentuais) de margem de erro e 90% de grau de confiança.

 

___________________________________________________

A CDL Porto Alegre reafirma seu compromisso em acolher as necessidades dos varejistas, auxiliando-os a transpor os entraves da disseminação do coronavírus. A Entidade tem a convicção de que a unidade do setor fará grande diferença neste momento tão delicado e de apreensão para todos. Com a atenção e a disponibilidade de cada empresário, para fazer a sua parte, o setor sairá ainda mais forte desta crise.