Tomate e gasolina fazem Porto Alegre ter maior inflação do país

07

NOVEMBRO, 2018

Notícias

Foi o IPCA mais alto em outubro e também no acumulado de 12 meses

Porto Alegre registrou, pelo segundo mês consecutivo, a maior inflação do país. O resultado apareceu na pesquisa do IBGE. O instituto divulgou nesta quarta-feira (07) o IPCA, que é considerado a inflação oficial.

Em outubro, Porto Alegre teve IPCA de 0,72%, frente ao 0,57% de setembro e 0,48% na média nacional. Considerando o acumulado de 12 meses, a inflação para o consumidor daqui fica em 5,66%, bem acima da média nacional de 4,56%.

O IBGE pesquisa a variação de preços em 16 cidades. Porto Alegre se destacou com uma alta intensa do tomate, que ficou 66% mais caro em média. A safra gaúcha terminou e os mercados estão comprando tomate de fora do Rio Grande do Sul, o que acrescenta também custo de frete.

O IBGE não divulga os preços, somente a variação. Mas a pesquisa da Associação Gaúcha de Supermercados aponta custo médio de R$ 7,40 do quilo do tomate. No início de outubro, o preço estava em R$ 4,42.

Já a gasolina perdeu para o tomate neste mês, mas segue como pressão. Foi o outro item que se destacou em alta puxando a inflação para o consumidor de Porto Alegre. A alta média foi de 2,55%. Parece um aumento pequeno, mas é uma elevação que vem se repetindo e o peso do item é grande no orçamento das famílias, o que se reflete no cálculo de inflação feito pelos institutos.

Economista-chefe da CDL Porto Alegre, Oscar Frank analisou as tabelas em busca dos vilões da inflação acumulada de 12 meses. Enviou o resultado para a coluna Acerto de Contas:

– Nesse caso, considerando a variação nos preços e a respectiva importância no índice, os itens que exerceram a maior influência foram: gasolina, energia elétrica residencial, tangerina, plano de saúde e leite longa vida.

Inflação no país

No país, o IPCA desacelerou. Estava em 0,48% em setembro. No entanto, foi o maior para o mês de outubro desde 2015.

Com isso, o acumulado de 12 meses avançou para 4,56%. É um pouco acima da meta da inflação do Governo Federal para o ano.

O Banco Central projetou nesta semana que a inflação atingirá um pico no segundo trimestre de 2019. Depois, deve recuar em direção à meta.

Fonte: Site GZH – Giane Guerra