Um novo Sistema – Por Igor Morais

27

JUNHO, 2019

Notícias

Estamos diante do surgimento de uma das mais importantes tecnologias desruptivas para o mundo corporativo desde a entrada da Web. Esse novo “Sistema” se assim podemos denominar, é conhecido como blockchain e, a despeito de sua emergência ter ocorrido de forma vinculada a criptomoedas, como o Bitcoin, é importante entender a diferença entre ambos.

A concepção da primeira criptomeda usa um tipo específico de DLT – Distributed Ledger Technology para registro de transações, uma ideia que, devido a suas características, chamou a atenção inicialmente do mundo financeiro, que viu ganhos na sua aplicação desde as bolsas de valores até a maneira que pagamos as contas do dia a dia. A proliferação das fintechs que permitem usar apenas o celular, eliminando cartões, é apenas um dos exemplos de como o blockchain pode mudar o comportamento de pessoas e empresas. Atentos a isso, alguns gigantes mundiais desse setor, como Visa e Mastercard, entraram na corrida para garantir patentes de uso do blockchain em transações financeiras.

Desse ponto de vista podemos esperar impactos em diversos outros setores da economia, em especial na forma como o varejo se relaciona com consumidores, gerando transações mais rápidas, seguras, baratas e transparentes. Porém, o blockchain vai muito além do uso financeiro e muitas aplicações estão surgindo para facilitar o monitoramento de produtos, registros na cadeia produtiva eliminando custos e incertezas jurídicas com pagamento de tributos, criação de programas de fidelidade e diversas outras ideias que ainda estão em fase de testes por grandes empresas do setor de varejo como Alibaba, Walmart e Amazon.

Por enquanto, o futuro do uso do blockchain é mais promissor que o presente. Isso porque ainda temos um longo caminho a percorrer antes de nos depararmos com sua adoção em massa. Em primeiro lugar, é necessário que Governos, e em especial o Poder Judiciário, entendam o benefício dessa tecnologia e participem de sua adoção juntamente com o setor privado. Essa peça é fundamental para dar credibilidade e segurança para as empresas. Em Segundo lugar, ainda nos deparamos com alguns limitadores técnicos e que estão relacionados a velocidade com que um volume grande de transação seja processado e, principalmente, as barreiras tecnológicas do que se denomina de “consenso”. Apesar desses desafios, não duvide que esse novo “Sistema” atinja seu segmento cedo ou tarde.

__________________________________________________________
Igor Morais
Economista, Pós-Doutor em Inteligência Artificial 
Sócio-fundador da 4Labs – Inteligência Artificial

 

Veja também: